Papo terapia: aceitação e o exercicio da empatia

Oi gente! Tudo bom? Cá estou novamente (depois de um bom tempo) para exercitar meu lado psicóloga em mais um papo terapia rsrs. Fiquei bastante impressionada com a repercussão do meu primeiro texto – leia aqui – e as histórias de vocês me inspiraram para o desenvolvimento desse segundo post.

Uma coisa que me impressionou (eu diria até que comoveu) foi o relato de muitas de vocês procurando compreender sobre aceitação. Muitas meninas nasceram “gordinhas” ou com algum outro tipo de ”insegurança” estética e nunca se viram de outra forma, por conta disso colocaram na cabeça que simplesmente precisam se aceitar. E gente, nem tudo é sobre aceitação. Você é dona de si mesma e do seu corpo, pode e deve mudar SE QUISER.

Percebo que esse papo de aceitação também rotula demais as circunstâncias, e de rótulos já estamos embriagadas. O que eu digo e repito é: precisamos cultivar nosso amor próprio e nossa confiança, e mais uma vez reforço que isso não tem nada a ver com peso ou qualquer questão estética. Deixa eu explicar melhor.

Sabe o amor verdadeiro? Quando a gente ama alguém não importa nada. Você ama na saúde e na doença, na alegria e na tristeza, na riqueza e na pobreza. Quando você ama verdadeiramente alguém você ama o que ela representa. Você deixou de amar ALGUÉM NESSA VIDA porque ele envelheceu? Porque ele ganhou uns quilinhos? Porque ele não está mais no auge? Provavelmente não, né? Isso porque o amor é algo que vai além. Você ama o todo. E o todo é complexo, e não depende apenas de uma única característica. E é esse tipo de amor incondicional que você tem que cultivar em si própria, um amor que não seja abalado apenas por uma questão estética ou mesmo por uma situação externa como classe social, emprego etc e tal. O AMOR TEM QUE VIR ACIMA DE TODAS AS COISAS. Você tem que se amar pelo todo, e se quiser mudar algo mude oras, pois como já cantava o saudoso Raul ~ eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.

lei-do-bem-me-quero

Nesse meu tempo de mudança – que relatei no papo terapia anterior – o peso foi a coisa mais suave que mudou em mim. O que mudou mesmo foram traços da minha personalidade, coisas que eu achei que eu jamais conseguiria me desapegar como orgulho, possessividade, e uma certa agressividade na forma de ser e agir, sabe aquela ”personalidade forte”? De forte não tem nada, e é sim muito inconveniente… Então…Eu era apegada naquela minha personalidade, achava que era natural ser daquele jeito, não via maldade nos meus pensamentos, (porque mesmo nessa época eu nunca fui a loka de chegar ofendendo ninguém, nem mesmo online diga-se passagem, mas eu tinha aquela mania de ”reparar” muito, sabe? Mania que acho que toda nós temos, mas que deve ser controlada porque no final das contas, ela se volta contra nós mesmas). Só que aí mais uma vez veio o blog pra me ajudar.

Por conta do blog eu comecei a exercitar diariamente uma coisa maravilhosa chamada EMPATIA.

EMPATIA NO DICIONÁRIO: capacidade de se identificar com outra pessoa, de sentir o que ela sente, de querer o que ela quer, de apreender do modo como ela apreende etc. Processo de identificação em que o indivíduo se coloca no lugar do outro e, com base em suas próprias suposições ou impressões, tenta compreender o comportamento do outro. Forma de cognição do eu social mediante três aptidões: para se ver do ponto de vista de outrem, para ver os outros do ponto de vista de outrem ou para ver os outros do ponto de vista deles mesmos.

A empatia é a cura do mundo! E passei a fortalecer ela através do blog, que me expôs as mais diversificadas situações. No começo críticas vinham de todo o lado, e não era crítica construtiva, era coisa pra derrubar. Até hoje recebo, claro, mas já adquiri confiança e calma o suficiente para não me abalar tanto, mas isso não foi de um dia para o outro. A porrada que a exposição me trouxe (e olha que a minha exposição é mínima) me alterou. Me fez enxergar melhor o outro.

Não se deixe abalar por pessoas que não tem empatia. Pessoa incapaz de sentir empatia é pessoa mimada, que só consegue ver seu próprio lado, que bate no peito que tem personalidade forte, que opina, que pode e que deve, que faz e acontece. Sério? Você realmente acha que vale a pena sofrer por algo dito por uma pessoa assim? Tão cheia de si, e tão vazia de tudo. Eu já fui assim e sei bem como é…Não vale a pena!

No jogo da vida pessoas capazes de sentir empatia saem na frente. Saem na frente porque simplesmente conseguem se relacionar bem com pessoas. E isso inclui relacionamento amoroso, trabalho e círculo social. Sentir empatia é o começo de uma vida bem resolvida. E pessoas bem resolvidas são sempre mais felizes e bem sucedidas. Pessoas capazes de tudo, pois conseguem se colocar no lugar de qualquer outra pessoa, é quase como um poder mutante rsrs. Juro! Sentir empatia é expandir a mente. 

A Bruna, mas quer dizer que eu não posso mais ser eu mesma? CLARO QUE PODE. Deve! Mas se ser você mesma implica em atingir o bem estar do outro, mesmo que momentaneamente aí temos um problema, e é nessa hora que a empatia vai te ajudar, pois ela vai te mostrar exatamente até que ponto você deve ir. Se você cruzar a linha do outro ai minha amiga, é melhor se segurar. É melhor repensar. A harmonia é uma dádiva que deve ser cultivada, e pra ter harmonia só praticando muito exercício da empatia. Sabe a lei do retorno? A empatia te ajuda a não precisar ser vítima dela! Porque se colocando no lugar do outro a gente se comporta de uma forma muito mais digna.

91c7b9d68f52446f151b0cdce6a2243e

Por conta desse exercício (que me foi imposto por conta dessa exposição online) me tornei uma pessoa mais leve (ao menos mentalmente rsrs). Passei a cobrar, reparar (e julgar!) menos os outros e automaticamente passei a me cobrar menos (em coisas estúpidas, que é onde mora o perigo!). Repare que quanto mais você critica (mesmo que mentalmente) os outros mais está se afundando. Quem muito julga será julgado, sabe? Se você aponta (e digo novamente, mesmo que mentalmente) o dedo para os outros é porque no fundo está com o próprio dedo apontado para si (mesmo que isso seja encoberto por algum tipo de soberba ou algo como ”sou uma pessoa de opinião forte e falo mesmo”).

12936736_1534225016885999_988238688383813462_n

Ter personalidade forte não é se impor diante de tudo e todos, ter personalidade forte é saber lidar com as diferenças sem causar desconforto para todos que te cercam. E o exercício da empatia te faz compreender isso com toda a clareza do mundo. E amor próprio está diretamente ligado a esse tipo de aceitação, AÍ SIM: A ACEITAÇÃO DAS DIFERENÇAS. Que vai muito além de uma simples aceitação de PADRÃO DE BELEZA, de aceitação de biotipo. É aceitar que todos somos e pensamos diferentes, e que isso não é ruim nem desqualifica ninguém. Aceitando isso é muito mais fácil se aceitar, em qualquer circunstância, compreende? E se aceitar não é cruzar os braços e se acomodar, é ter confiança para ser quem você é, independente de fatores externos. E independente das mudanças que você venha ou não fazer. Complexo eu sei rsrs! Basicamente antes de você se aceitar, é importante que você ACEITE OS DEMAIS. Aceite, respeite, compreenda e SEMPRE SE COLOQUE NO LUGAR DO OUTRO.

Aí que antes de reclamar de qualquer coisa da sua vida, repare se você mesma não está se afundando nessa falta de empatia. E MUDE, MUDE SEMPRE. Mude porque mudar também faz bem. E isso vale tanto pro seu interior como pro seu exterior. Porque esse é um direito seu, e uma coisa pequena perto de todas as outras características que compõe o seu ser.

E ai voltamos para a seguinte questão: se você sofre com sua atual condição estética porque você simplesmente não muda? Por medo? Insegurança? Por falta de força de vontade? Pela pressão da sociedade?

Mudar o corpo é um direito TOTALMENTE seu, E TOTALMENTE POSSÍVEL (acredite, dá pra ser magra sem ser fitness, ou você acha que sua mãe sabia o que era glúten na idade dela? E na idade dela todo mundo era gordo? CLARO QUE NÃO! Mas isso é assunto pra outro papo terapia rsrs).

Já vi pessoas magérrimas ficarem saradas, já vi pessoa obesa virar alterofilista, já vi pessoa saradérrima ficar seca. Já vi de tudo. O corpo é um instrumento seu e que pode ser alterado, não acredite no contrário e não se obrigue A ACEITAR sua atual condição só pra parar de sofrer, pare de sofrer simplesmente porque ISSO NÃO É MOTIVO, e porque simplesmente VOCÊ TEM AUTONOMIA PARA MUDAR ISSO.  Como sempre digo, não deixe o peso desqualificar você. Coloque o peso no lugar do peso, um lugar pequenininho mediante todas as outras coisas que formam sua personalidade, sua presença e importância no universo.

curta-o-seu-eu

Não aceite o padrão de beleza que muitas pessoas possam te impor, mas também não aceite o comodismo de ‘vou me aceitar’, porque muitas vezes você pode fazer isso da boca pra fora e passar uma vida toda na sofrência. Se for pra aceitar, aceite porque você GOSTA assim, porque não faz diferença na sua vida. Mas também não se sinta PRESA a isso, se quiser MUDE, ninguém tem nada com isso. A vida é sua, o corpo é seu. Não deixem que rótulos te prendam a uma eternidade de mesmice.

Parece que vivemos na ERA DO 8 OU 80. Ou você É FITNESS SARADA RAINHA DO WHEY ou você é A GORDINHA FELIZ PLUS SIZE QUE SE ACEITA E NUNCA VAI MUDAR. Eita danado, me deixa ser o que eu quiser. Saudável sim, mas sem essa pressão chata de precisar se enquadrar em uma ”tribo” e ficar lá empoderando para todo e sempre. 

Como eu sempre digo, ninguém é obrigada a nada, faça o que te faz feliz, e busque a verdadeira felicidade, que só será de fato encontrada quando você SE encontrar, e isso, mais uma vez DIGO E REPITO, não depende da sua estética, e sim da sua mente, do seu autoconhecimento sobre suas qualidades e defeitos. Nesse processo não tenha vergonha de pedir ajuda, vá a um terapeuta, converse com ele, descubra-se. Ame-se. E mude se for o caso (e provavelmente vai ser!). Mas MUDE DE DENTRO PRA FORA. E se quiser mudar externamente mude também! Mesmo que todo mundo seja contra, mesmo que ninguém acredite em você, mesmo que você tenha medo. MUDAR PODE SER MUITO LEGAL! E se é seu sonho, uau, se joga miga! E acredite, não é uma tarefa impossível apesar de mídia hoje fazer questão de dificultar pra caramba esse processo, transformando o processo de perda de peso numa verdadeira batalha em busca de uma vida feliz (não caia nessa cilada, dá pra ser feliz antes e depois em IGUAL proporção!). Procure um médico que ele fará um cardápio pra você que vai ser provavelmente mais fácil do que você imagina, acredite! Um bom nutricionista te ensina a ter hábitos saudáveis que SE ENCAIXEM NA SUA VIDA, e não te obriga a mudar da água pro vinho como se todos os organismos fossem IGUAIZINHOS. Gente, não somos robôs. Somos seres individuais com necessidades, rotinas e metabolismos diferentes. CADA UM NO SEU QUADRADO, e um bom médico sabe como lidar com isso.

E digo isso porque fiquei realmente impressionada com a quantidade de meninas obrigando-se a ”se aceitar”, como se a aceitação fosse pura e simples ligada aos quilos a mais (ou a menos). Miga, se você não cultivar amor próprio e confiança, não tem beleza que resista. Não importa o quão ”perfeita” você seja, criticas sempre vão te rondar, estar ”dentro do padrão” não cria um escudo contra as pessoas que nem sabem o significado de empatia. Por isso antes de acreditar na possibilidade que sua vida seria melhor e mais fácil de você tivesse ”aquele corpo”, procure exercitar sua mente. E se decidir mudar seu corpo, SIMPLESMENTE MUDE. Porque você PODE. Porque é VOCÊ QUEM MANDA NESSA PARADA. SEJA DONA DE SI MESMA, e o resto é resto!

Pratique o exercício curador da empatia. Ele te ajuda a se aceitar melhor, a compreender melhor o outro, e a lidar melhor com o outro, inclusive na hora de dar conselhos, de opinar e de se posicionar. A empatia te ajuda inclusive a se abalar menos com pessoas que insistem em te colocar pra baixo, se colocando no lugar delas você vai ver que no final das contas o problema maior está geralmente em quem se comporta de forma mais ofensiva/agressiva, e não em quem é o receptor desse mal estar, a empatia te ajuda até nisso. Ela evolui demais qualquer ser humano em todos os sentidos. Pratique sempre e nunca se esqueça:

Mente sã corpo sã. E VOCÊ NO COMANDO SEMPRE!

ps: prometo ler todos os comentários, mas como sei que esse tipo de post tem muitoooo não vou conseguir responder um a um. Mas vou ler com carinho e já pegar pauta pro nosso papo terapia!

Papo terapia sobre peso, autoestima e preconceito

O título desse post já carrega um enorme peso, né? Hoje em dia tudo é motivo de preconceito e as pessoas estão cheias de mimimis desnecessários. Eu sou uma pessoa good vibes, não entro mais em paranoia e sou bem resolvida o suficiente para fazer o meu sem deixar que influências externas atrapalhem o curso da minha história e essencialmente minhas escolhas.

Mas fico pensando nas outras pessoas, que não passaram pelas mesmas experiências de vida que eu e que precisam lidar com cabeças quadradas e limitadas em rótulos criados por sei lá quem em sei lá que dia. Chato!

Fui mãe aos 19 anos e aos 25 já sustentava a família inteira sozinha. E isso inclui todo o meu círculo familiar, que graças a Deus consigo cuidar com a maior dignidade e amor do mundo. Eu me sinto honrada com essa oportunidade e incondicionalmente feliz, mas isso não veio de um dia para o outro.

Durante 3 anos da minha vida dividi o trabalho de blogueira com o trabalho de jornalista. Pegava busão às 5 da manhã e voltava às 8 da noite, blogava no fim de semana a semana inteira de conteúdo. E fui seguindo! Já pensei em deletar o blog em vários momentos de extrema fadiga. Mas nunca o fiz, sempre motivada pelo meu público, que me manteve presa de uma forma positiva ao blog. Me apaixonei por vocês (e escrevo essas linhas com lágrimas nos olhos).

Meu público minha vida!

Meu público, minha vida!

Dinheiro mesmo só começou a vir depois dos 4 anos de blog, ou seja, tudo veio de uma paixão gratuita. Hoje é meu ganha pão sim, mas só me motivo graças a resposta de vocês. Já repararam que meu número de publicidades diminuiu bem? Hoje sou focada nos meus desenvolvimentos e só fecho publicidade quando me apaixono por ela, sempre foi assim mas agora ainda mais.. Enfim… Isso é assunto pra outro post, né? rsrs! Apenas para explicar quem eu sou nessa vida de blogger rsrs!

O blog é minha vida, trabalho e cura!

O blog é minha vida, trabalho, paixão e cura!

Como jornalista sempre foquei conteúdo, nunca pensei se quer na possibilidade de ser famosa e nem me considero, aliás longe disso. Sou uma blogueira reconhecida mas não conhecida. Consigo viver uma vida normal, passeio com a família numa boa (sempre tiro uma selfie ou outra com alguma leitora, inclusive amo quando vocês vem falar comigo) mas é sempre tranquilo. E a cobrança do público idem. Consigo ser reconhecida, estar em projetos incríveis, ter linha de esmaltes, maquiagens e pincel, ser convidada para os principais eventos, e mesmo assim consigo manter a minha privacidade. Vivo ao meu ver a fórmula perfeita. Não enjoo vocês com a minha cara e lifestyle, e mantenho o foco sempre no conteúdo. Como uma revista que mantém o nome mas muda sempre a capa. O nome permanece a imagem não. Pra sempre as pessoas vão procurar conteúdo sobre beleza, mas sobre a pessoa Bruna Tavares acho impossível, né? Convenhamos rsrs! Então prefiro ficar em segundo plano e deixar o Pausa se destacando! Esse é meu jeito de ver. Um jeito jornalístico, direto e preciso. E totalmente interessado em ensinar algo pra vocês que vá além do entretenimento (que veja bem, é maravilhoso e necessário na vida de todo mundo, mas que não foi a minha escolha inicial!E acho que o legal é isso, cada blogueiro/youtuber com seu estilo).

Falar sobre beleza é o que eu mais amo!

Falar sobre beleza é o que eu mais amo!

Esse discurso todo acima foi pra mostrar pra vocês o quanto a minha relação com meu público é PRECIOSA. Posso não me expor muito pra vocês, mas isso não quer dizer que não valorize essa relação. Em vez de trazer vocês muito diretamente dentro da minha rotina pessoal (que eu entendo que é uma coisa super divertida e bacana, inclusive admiro quem faz porque NÃO É FÁCIL), eu procuro sempre me manter ativa nas redes respondendo o máximo de pessoas que eu consigo, e aqui no blog todo mundo. Além disso sempre levo em consideração a opinião de vocês na hora de definir resenhas, tutoriais e produtos para linha, e além de tomar um enorme cuidado com a publicidade que entrego, mesmo os posts que não são publis (e apenas tem link de comissão) são sinalizados.

Ou seja, o meu respeito vocês tem em larga escala. O PPF em toda sua extensão é feito em conjunto. Vocês fazem parte disso e em vez de dividir com vocês minha rotina MUITO sem graça do dia-dia (sinceridades rsrs), eu divido as minhas pesquisas, ideias, conquistas e projetos. É mais natural pra mim assim, e tem mais a ver comigo, sabe? Mas tenho sim planos de expandir meu conteúdo, só que pra isso é necessário tantas coisas… Nesse momento por exemplo estou colocando uma vedação de som na minha janela, tudo para conseguir gravar vídeos de corpo inteiro, digamos assim. Tem todo um processo rs! Mas sempre vou focar em beleza, até porque assunto disso é o que não falta, e é onde me sinto mais vontade.

olho-outono

Make amor verdadeiro amor eterno!

E esse é único motivo de eu não me expor tanto, porque eu tenho tantas coisas pra explorar em beleza que nem sobra tempo para outras, e confesso que sou discreta mesmo, nem minha família acaba sabendo das minhas ações mais íntimas. É meu jeito, e sou honesta com ele e comigo mesma, e isso é uma questão de autoconhecimento, apesar de ser relativamente jovem (29 anos, tá? rs) eu já passei por muita coisa. Então acabo sendo mais prática! Mais focada.

1117149695_f

Com 19 aninhos!

Tudo isso pra chegar no assunto mais chato de todos os tempos. PESO! Já comentei no snap em um passado relativamente distante sobre minha relação com o peso. Fui uma jovem magra e cheia de paranoias. Vivi um relacionamento bastante abusivo e dentro dele, apesar de estar “totalmente” dentro do tal “padrão” de beleza de hoje em dia, me achava sem graça, sem sal, sem nada, um zero. Tenho ate dificuldade de encontrar fotos daquela época (#queraiva! rsrs).

Uma das poucas imagens que tenho dessa época! Detestava tirar foto de corpo.

Uma das poucas imagens que tenho dessa época! Detestava tirar foto.

Sério, eu via defeito em tudo. Hoje quando vejo minhas fotos antigas tenho vontade de bater na minha cara. BRUNA ACORDA FILHA! SAI DESSA, AMIGA. Lembro que era muito muito muito encanada com peso e se engordasse 2 quilos já parava de viver. Não ia mais na manicure, não me arrumava, não comprava roupa, nossa, não queria nem sair de casa. UÓ! Eu virava a pessoa mais chata e menos interessante de conviver da vida. Não tinha beleza que resistisse a tanta insegurança e chatice.

Depois que engravidei tive que enfrentar de fato um relevante aumento de peso. Tive um problema hormonal bem chato e no meu primeiro ano de mãe ganhei todos os quilos que até hoje acompanham esse corpinho. E tudo em apenas um ano. Depois apenas mantive e minhas prioridades mudaram. Meu problema hormonal foi ajustado mas os quilos ficaram, e minha vida virou de cabeça pra baixo.

Depois que tive a Sabrina me transformei em uma pessoa muito noturna. Esperava ela dormir para estudar, trabalhar e descansar, e claro, comer. Passei a dormir altas horas da madrugada e acordar cedo para dar de mama e fazer papinha (amamentei a Sabrina durante 6 meses, então não dava pra ficar longe muito tempo e nem para descansar, faz parte! E é uma delícia ser mãe, mas a vida da gente muda demais, não tem o que fazer). Minha rotina mudou, meu sono mudou, minha vida mudou. E meu corpo também. Mas o mais interessante é que eu poderia ter surtado com o ganho de peso pós gravidez (afinal antes disso eu surtava quando ganhava 2 quilos, quiçá 20, né?) mas muito pelo contrário. EU ME CUREI! Eu passei a me achar mais bonita e as pessoas idem. VAI ENTENDER, NÉ? Mas foi o que aconteceu!

Eu e minha filha! Tesouro e cura <3

Eu e minha filha! Tesouro e cura <3

Eu nunca me achei bonita, eu me achava magra, sabe? Eu achava que a verdadeira mulher bonita era aquela mulher que mesmo gordinha conseguia ser bonita. Era uma coisa que eu sempre pensava, e por isso atrelava minha “beleza” e autoestima diretamente ao meu peso. Achava que ser gordinha não era pra mim, nunca achei problemático (e não é!) até porque grande parte dos meus ícones de beleza não são magrinhas, mas achava basicamente que aquilo era para as divas, eu “normalzinha” precisava me manter magra (quanta bobagem nessa cabecinha rsrs).

A Nikkie é minha musa suprema <3

A Nikkie é minha musa suprema e uma das maiores youtubers do mundo de beleza <3

E engraçado como antes de ser mãe eu nunca consegui me acertar muito com meu peso. Como disse, no meu relacionamento abusivo anterior, convivi com um boy que vivia reclamando que eu não tinha bunda, que eu tinha “corpo de criança”… Ai depois dele entrei mais na paranoia ainda, porque gente, mesmo magra, loira e bronzeada eu ainda estava imperfeita diante dos olhos de quem eu amava. POXA, que merda (verdade seja dita!). MENINAS NÃO OUÇAM BOYS DESSE NÍVEL POR FAVOR, CORRAM! GOSTE DE QUEM GOSTA DE VOCÊ. CONSELHO PRA VIDA!

Encontre alguém que ame sua alma!

Encontre alguém que ame sua alma!

Mas enfim, isso só piorou meu processo de autoestima, comecei a detestar até a magreza. Entrei em parafuso e graças a uma luz divina, que sinceramente só pode ter vindo de Deus mesmo, terminei esse relacionamento. Ufa! Uma coisa a menos…

Conheci o meu marido e mesmo antes disso ganhei uns quilinhos, comecei a me envolver mais com maquiagem e minha autoestima foi melhorando, parei de ser encanada com magreza pelo menos (porque sério, teve momentos em que eu odiava meu corpo, queria ganhar bunda, coxa… Ai ficava com medo de engordar e me odiar mais ainda, nossa que processo #crazy). Minha mãe na época me levou para um psicólogo que me ajudou MUITO, e acho até que só conheci meu marido porque já estava entrando numa good vibes, sabe? Melhor comigo mesma! Cuidando da mente. Melhor coisa!

A cura total mesmo veio depois da gravidez, óbvio que ser mãe por si só é algo extraordinário, a gente se transforma em uma espécie de Mulher Maravilha, de Super Mulher mesmo. Não dá pra explicar! Mas o ganho de peso me salvou.

Estava com o maior peso da minha história mas estava tão feliz que passei a me olhar no espelho e me achar linda e radiante. Nessa época mesmo fiz o blog, pra ele me acompanhar nesse processo de redescoberta (que inclui paixão por make, claro rsrs), e por essas e por outras vocês são tão importantes pra mim. Vocês me salvaram, vocês me curaram (e veja bem, nesse momento já estou aqui chorando de emoção…). Serei grata eternamente, e só por isso escrevo esse post. Pra dividir isso com vocês, porque simplesmente vocês merecem!

Espelho Espelho meu, existe alguém mais feliz do que eu?

Espelho Espelho meu, existe alguém mais feliz do que eu?

Me tornei uma mulher vaidosa, feliz e amada. Virei aquela mulher que eu sonhava em ser, a que mesmo gordinha consegue se sentir bonita, sabe? rsrs! Passei a me ver assim e isso foi um bálsamo pra minha alma. Cada quilo que acompanha esse corpinho hoje é uma vitória, uma cura. Não tenho problema com eles não. E acho tão injusto quando alguém deduz que tenho problemas com isso. Que não “apareço” mais por causa disso. Gente, sério! Pra que rotular assim? Não é mais fácil pensar que eu não apareço mais porque quero manter a minha privacidade (não é mais óbvio?). Tem gente até que acha que uso roupa de frio por causa de peso rsrs. SE-NHOR! Deixa eu explicar, eu sou a pessoa mais friorenta do planeta. Meu marido até brinca que eu sou a evolução porque estou preparada para o aquecimento global rsrsrs. Evito viajar para lugares frios e estou sempre com pelo menos uma jaquetinha. Eu tenho tanto frio que não consigo nem ir na parte de congelados do supermercado, se eu vou na hora minha boca fica roxa. As vezes acho até que tenho um pouco de síndrome Raynaud. Tem dias que sinto tanto frio que preciso tomar mais banhos para esquentar a pele de dentro pra fora. Gente, nem coisa gelada eu como ou tomo. E sempre foi assim, aliás quando era mais magra era pior. Isso não tem nada a ver com peso, tem a ver com o fato de que eu sou FRIORENTA PRA CARAMBA! rsrs! Que rótulo chato é esse de achar que pessoa gordinha tem problema de autoestima, que pessoa que usa roupa mais pesada tem problema com o corpo, de achar que estar acima do peso = problema de saúde.

Andei por toda Disney com essa roupa e não derrubei uma gota de suor!

Andei por toda Disney com essa roupa e não derrubei uma gota de suor! Make intacta até o final e estilo idem rs…

Não é bem assim gente! Eu tinha muito mais problemas de autoestima quando era magra e inclusive mais problemas de saúde (hipoglicemia e pressão muito baixa, eu vivia desmaiando). Tem gente que julga tão ruim meu peso atual que até já li comentários de “leitora” perguntando porque eu não fazia bariátrica. GENTE ISSO É SÉRIO? Eu uso manequim 42/44, consigo comprar roupa em qualquer loja e sinceramente me sinto completamente ok (aliás, meus exames de sangue que faço periodicamente dizem o mesmo), e não tem ninguém no planeta que vai me convencer do contrário. Bariátrica é coisa séria, obesidade é coisa séria. Por favor, vamos com calma! E o movimento plus size merece respeito, não dá pra enquadrar qualquer mulher de manequim 40/42/44 como plus, isso chega a ser ofensivo para as verdadeiras plus sizes e potencializa ainda mais esse padrão de beleza de extrema magreza. Cada coisa no seu lugar. Grata!

Gordelícia no meu lugar favorito do mundo <3

Gordelícia no meu lugar favorito do mundo <3

Tudo isso pra passar pra vocês a seguinte experiência. Peso não é sinônimo de felicidade. E ninguém deve ser rotulada por causa dele. Afinal o peso é só “a força exercida sobre um corpo pela atração gravitacional da Terra, cujo valor é dado pelo produto da massa do corpo pela magnitude da aceleração da gravidade.” Ou seja, ESSA COISA aí não pode ser responsável por definir sua vida, e nem te dá o direito de definir e deduzir coisas sobre as outras pessoas.

Se você engordou uns quilinhos não pode parar de viver por causa disso. Continue se amando, indo na manicure, saindo com as amigas, paquerando, se maquiando, indo na academia… CONTINUE SE CUIDANDO. Porque se você deixar o seu peso afetar todas as outras partes da sua vida e estética, ai sim a vaca vai pro brejo mesmo. Nesse processo de voltar a se amar através da maquiagem, dos esmaltes, do convívio social, das roupas novas, da atividade física (que te dê prazer principalmente) você vai encontrar uma nova mulher, e de repente o sonhado processo de emagrecer pode acontecer de forma muito mais simples, ou pode não acontecer caso você simplesmente desencane.

O fato é que você não pode colocar apenas no peso, O PESO da sua felicidade. O peso da sua autoestima. Porque tem outras milhares de coisas que você pode fazer pra se sentir mais bonita AGORA. E essas coisas são conquistadas até mais rapidamente, e essas coisas vão te motivar pra vida. PRA SEMPRE! Porque gente…a beleza estética é algo passageiro, porém a vaidade e felicidade jamais. Me fala ai se você não tem uma vózinha que não sai de casa com pelo menos um batonzinho!? Rsrs Tá certa ela.

Olha ela de vestido de couro!

Olha ela de vestido de couro! Foto do ano passado em Vegas! Não foi fácil de entrar nele, mas #vidaquesegue rsrs

É óbvio que não estou aqui para fazer um ode de “seja gordinha e feliz”, porque DETESTO RÓTULO. Faço um ode a “seja feliz independente do seu peso ou do peso que você gostaria de ter”.

Eu mesma já fui, magra, gostosa e gordinha, e nas três fases encontrei pessoas dispostas a me ofender e outras tantas a me amar. O que eu peço encarecidamente para vocês é SE AME AGORA, SE CUIDE AGORA, NÃO DEIXE SEU PESO GUIAR TODAS AS ÁREA DA SUA VIDA. SE CURE DESSE MAL! Porque se curando dele o resto é resto. E você tem o total direito de mudar seu corpo, aliás deve se isso te incomoda. Mas muitas vezes o problema está mais na cabeça do que no corpo, o que torna o processo de perda de peso muito doloroso. Eu mesma conheço gente que vivia com depressão por causa de peso, ai os quilos se foram mas a depressão não. Portanto cuidado com isso! Descubra se o seu problema é mais psicológico do que estético e procure ajuda. Ajuda dos dois lados, mais principalmente ajuda para a sua mente.

Gordinha em 2 páginas da CARAS tá benhê rsrs!

Gordinha em 2 páginas da CARAS tá benhê rsrs!

E claro, se o peso estiver de fato afetando sua saúde e autoestima faça algo, vá no médico regularmente, mas não deixe que aquela sua colega venenosa te coloque pra baixo. Porque quando uma pessoa precisa ofender a outra (mesmo que carinhosamente) é porque ela provavelmente precisa de mais ajuda que você. Porque peso a gente resolve em alguns meses, agora falta de bom senso sinceramente não sei se tem jeito. Convenhamos rsrs! Então amiga, fique com o mais fácil que é a primeira opção.

O Mickey me achou fofinha <3

O Mickey me achou fofinha <3

E se decidir por entrar nesse processo de mudança de peso (seja pra mais ou pra menos) faça se amando do primeiro ao último dia, faça concomitante a outros cuidados com resultados mais instantâneos. Dessa forma vai ser um processo muito mais natural, menos sofrido e depressivo.

cabelo-ruivo-vermelho

Hoje cuido muito mais do meu cabelo, pele e beleza em geral do que quando estava magra. Tudo porque hoje tenho mais autoestima! A autoestima e a vaidade não dependem do seu peso, entende? É algo que vai além!

Não espere pra fazer aquelas luzes no cabelo que você tanto quer depois que perder x quilos. Faça hoje. Não espere para arrasar na make depois de perder x quilos. Faça agora. Não espere para ser feliz depois de chegar no corpo dos sonhos. SEJA FELIZ AGORA, e todo o resto irá vir de forma muito mais saudável e feliz. TENHO CERTEZA. E claro, conte sempre com ajuda de profissionais, não siga modinhas nem a colega, porque isso ai amiga, tem grandes chances de ser uma cilada! E você, seu corpo e sua mente, merecem o melhor tratamento, o mais direcionado possível.

No lançamento da minha linha de esmaltes! O peso não interferiu nas minhas escolhas e no meu sucesso! E não deve interferir no seu também.

No lançamento da minha linha de esmaltes! O peso não interferiu nas minhas escolhas e no meu sucesso! E não deve interferir no seu também. Não supervalorize o seu peso mais do que você mesma!

Hoje eu sei que se eu quiser voltar a ter aquele peso dos 18 anos, serei uma mulher tão feliz quanto hoje. Porque hoje o peso não tem mais tanto PESO (rsrs) na minha vida. O peso só influencia mesmo na hora de comprar roupa, eu estaria mentindo se não dissesse que era mais fácil antes (sem barriga) comprar roupas no geral, mas sei lá, isso não me afeta mais, faz parte ué! Eu até tiro sarro da situação com meu marido quando estou experimentando uma roupa e fico brava com a barriga. Ah… aquela pizza de ontem kkk poxa...Com barriga ou sem barriga sou a mesma pessoa! E você também. PESO É SÓ PESO, ALGO QUE PODEMOS MUDAR A QUALQUER MOMENTO, PORTANTO NÃO É ALGO FIXO DENTRO DO QUE SOMOS OU DEIXAMOS DE SER.

Me curei, e por incrível que pareça me curei graças aos quilos. Como se Deus e o universo quisessem me mostrar que a felicidade vem mesmo de dentro pra fora. Tomei esse tapa na cara da vida e foi o melhor tapa do mundo! E espero que a minha experiência possa te fazer refletir sobre isso. Possa te fazer entender que estar acima ou abaixo do peso não é e nunca vai ser motivo de tristeza e chacota. E isso vale para as pessoas que se sentem no direito de agredir outras por causa disso.

Meu marido ama as minhas bochechas. Vê se eu mereço <3 Rrsrs!

Meu marido ama as minhas bochechas. Vê se eu mereço

Porque o peso gente, é só “a força exercida sobre um corpo pela atração gravitacional da Terra, cujo valor é dado pelo produto da massa do corpo pela magnitude da aceleração da gravidade.” Rrssrs chega até ser engraçado, né?

Mil beijos na alma e arrasem sempre com qualquer peso porque não somos obrigadas a NADA!